Resenha

Três dia. Foi isso que eu levei para ler Sete Vidas das queridissímas fofas e super incentivadoras, Mônica e Monique : ) Devo admitir que depois de ter me perguntado várias vezes por que ainda não tinha virado uma série ou filme eu finalmente terminei o livro com uma opinião certa sobre ele. Sete Vidas PRECISA TER UMA ADAPTAÇÂO ( ou não pode ser que estrague, enfim. Eu o que eu acho ) e devo desculpa as meninas por ter demorado tanto para terminar – comprei no ultimo dia da bienal e hoje já são 22 – e parabenizar porque o livro É MUITO BOM, tão bom que assim que eu cheguei em casa e fui guardar as tão sonhadas e demoradas compras, fui assaltada, calma, foi pelo pessoal aqui de casa, minha mãe foi a primeira a raptar alguns livros ( Nosso Lar e Sete Vidas ), tive que esperar. Fazer o quê, mas vamos deixar isso pra outro e dia e vamos falar do livro ?

   O livro começa “baseado” na amizade de três encrenqueiras, duas na verdade. Kaleigh – falando nisso adorei o nome ) e Aprilyne, Claire é mais a consciências das três irmãs e é aí que a coisa começa a ficar legal. Angelique – eu sabia que eu gostava dela – é a “vilã” dessa parte da história e eu me divirto com isso, até o termino da aposta ( isso é spoiler não, né ? ) eu estava bem tranquila e aproveitando, achei que a leitura seguiria esse curso porque o livro é fininho – Ah, como eu estava errada – e segui a leitura, que aliás prende até segunda ordem, ou seja, não leia de noite nem com barulho de espécie alguma, você vai se arrepender por isso. Quando ela vai fazer o que ela tem que fazer, ela encontra o que ela e nem eu esperávamos e eu parei de ler, esse foi o primeiro dia lendo e pensei comigo, Já era.É de terror. Não rola mais ler e resolvi ir dormir. No dia seguinte ( Terça Feira, dia 20 ) resolvi carregar ele pois iria passar o dia todo fora, respirei tomei coragem e disse é tudo ou nada. Afinal de contas eu não sentiria medo de fantasmas ou afins em plena luz do sol, só que eu não esperava dar com a cara na parede e descobrir que o livro é sobre uma mitologia que eu gosto muito. Daí pra lá, a cada parágrafo eu soltava um suspiro ou falava – gritava na verdade – coisa, o que deixou minha irmã e meu pai bem … curiosos ? Eu não esperava nada do que aconteceu e sinceramente eu AMEI o final mesmo tendo ficado em um vácuo muito sério. Fiquei triste que a Claire e Kaleigh não apareceram mais, eu gostava delas, do trio na verdade era bem engraçado – eu até pensei que as três séria adotadas juntas – e o que eu imaginei que poderia acontecer dá uma lista bem diferente. Simplesmente adorei a parte “romântica” do livro, sem várias opções, sem enrolação, tá que eu gosto de ter mais de uma opção porque a cada hora, mesmo sem perceber você torce para um ou o outro mais está ficando chato e repetitivo – mesmo eu tendo escrito várias coisas parecidas – mais foi muito bom, o Ian é fofo ao cubo e eu não me importaria de cair de um penhasco para ele me salvar – exagerada eu ! – … Espero sinceramente que tenha o segundo em breve porque eu aprendi com certos livros – obrigada Jogos Vorazes – que as vezes é melhor enrolar até ter o final ou a continuação senão você pira na maionese ou seja, ainda não terminei de ler em chamas e esse é um assunto para outro dia. Obrigada Underworld e obrigada Mônica e Monique – fiquei tão nervosa que eu nem lembrei de tirar nem nada e também nem sei se podia. Não faz mal, 2013 nós vemos de novo com o lançamento da continuação ; ) – E eu nem sei que livro eu vou ler agora, estou órfã. Já estou com a pirâmide vermelha mais esse aí eu só vou ler quando tiver o trono de fogo na mão porque passar sufoco e ficar órfã tem limite. – Estou com um problema sério sobre trocar de assunto. Preciso parar com isso. –